Pack Expo East

03/03/2020 a 05/03/2020

LATAMCAN 2020

04/03/2020 a 06/03/2020

Veja todos os eventos
fechar

Varejo em 2019: como foram as vendas nas principais datas comemorativas do ano


Você deve saber o quão importante é conhecer o passado para se preparar para o futuro. Por isso, neste início de ano, queremos relembrar os números mais significativos do varejo em algumas datas importantes de 2019. 

Não é exagero dizer que o e-commerce foi o grande destaque entre consumidores, com altas taxas de crescimento em relação a 2018. Esse bom desempenho, que dá continuidade ao rápido crescimento desse setor nos últimos anos, também consolida as vendas on-line como uma das apostas mais relevantes para o futuro, gerando para as marcas boas e novas possibilidades de negócios.

Seguindo a mesma tendência, nas lojas de rua e nos shoppings, as vendas também alcançaram números positivos se comparados aos de 2018, mas o ticket médio sofreu uma leve queda, deixando claro que os consumidores estão economizando mais. 

Continue a leitura para saber mais detalhes sobre esse cenário!

Dia das Mães (12/05)

Considerada a segunda principal data comemorativa para o varejo brasileiro, o Dia das Mães fica atrás apenas do período entre a Black Friday e o Natal. Em 2019, as vendas nas lojas e, especialmente, no e-commerce foram bastante positivas se comparadas ao ano anterior, mas o ticket médio ficou um pouco menor nas duas situações, resultando em um saldo final equilibrado. 

Segundo um levantamento da Ebit/Nielsen, os e-commerces tiveram uma alta de 5% nas vendas, faturando R$ 2,2 bilhões. No total, foram recebidos 5,5 milhões de pedidos, o que corresponde a um aumento de 20% em relação a 2018. Os segmentos que lideraram esse ranking foram os produtos de beleza e saúde (21,84%), hotéis e viagens (16,85%) e itens relacionados à moda (15,12%), conforme dados divulgados pela plataforma Social Miner.

Já o comércio nas lojas teve um aumento de 4% no fluxo de pessoas, aumentando a quantidade de vendas, de acordo com a pesquisa da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop). Seguindo a tendência do e-commerce, as compras se concentraram nos segmentos de roupas, calçados, acessórios, perfumes e cosméticos — mas, neste caso, os hotéis e viagens deram lugar aos chocolates e às idas ao restaurante.

Por outro lado, os consumidores reduziram em 5% os valores gastos nas lojas, resultando em um ticket médio 10% menor em relação a 2018, segundo a Alshop. Os valores variaram entre R$ 75,00 e R$200,00, e a maioria dos consumidores pagou à vista, em dinheiro ou débito, reforçando que estavam mais cautelosos com as contas. No e-commerce, houve redução de 12% no ticket médio, ficando em R$ 402,00, pelos dados da Ebit/Nielsen.

Dia dos Namorados (12/06)

Essa é mais uma data comemorativa que os brasileiros adoram celebrar com a troca de presentes, geralmente refletindo positivamente nas vendas do varejo, como aconteceu em 2019. Embora tenham ficado um pouco abaixo das expectativas dos comerciantes — devido às baixas taxas de juros do período —, as vendas nas lojas cresceram 1,4% em relação a 2018, de acordo com os dados da Boa Vista apurados em todo o país.  

O e-commerce foi o grande destaque do Dia dos Namorados, depois de ter sido fortemente impactado pela greve dos caminhoneiros em 2018. O faturamento foi de R$ 2,2 bilhões, o que representa um crescimento de 24%, segundo a pesquisa realizada pela Ebit/Nielsen. Isso porque, embora o ticket médio tenha reduzido 17%, com valor de R$ 384, o número de pedidos aumentou em 50%, chegando a R$ 5,7 milhões.

Ainda de acordo com o levantamento da Ebit/Nielsen, os produtos de perfumaria e cosméticos lideraram o ranking, com 19,9% das vendas on-line, seguidos de moda e acessórios (18,2%), casa e decoração (10,3%), eletrodomésticos (9,4%), informática (5,9%), telefonia e celulares (4,8%), esporte e lazer (4,1%), alimentos e bebidas (3,8%) e, finalizando a lista, eletrônicos (3,2%) e livros (3,1%).

Dia das Crianças (12/10)

As vendas nos shopping centers brasileiros comprovaram que o Dia das Crianças também é uma das mais significativas datas para o varejo. A alta foi de 3,1% em relação a 2018, segundo dados nacionais da Boa Vista — o que significa o melhor desempenho do varejo em todas as datas comemorativas de 2019 e também o maior índice desde 2013. 

No e-commerce, um relatório da Social Miner, em parceria com a Compre & Confie, aponta que os números foram ainda melhores, com um faturamento de R$ 3 bilhões, o que representa um aumento de 23,9% se comparado com 2018. O ticket médio foi de R$ 395,42, resultando em uma queda de 1,2%, mas o número de pedidos aumentou, principalmente as compras à vista.

Os segmentos de e-commerce que mais se destacaram nas vendas, conforme o relatório, foram brinquedos, com alta de 0,7% em relação a 2018, e entretenimento, como livros, DVDs, games e papelaria, que tiveram crescimento de 11,7%. 

Natal (25/12)

O e-commerce foi a grande estrela da data mais esperada do ano pelo varejo brasileiro, com faturamento de R$ 14,1 bilhões de acordo com o relatório da Social Miner, em parceria com a Compre & Confie. Esse valor é referente ao período de 15 de novembro a 24 de dezembro, ou seja, conta também com as vendas da Black Friday e representa uma variação positiva de 29,9% se comparado a 2018. 

O número de pedidos também cresceu, passando para 31 milhões em vendas. Já o valor do tíquete médio (que vinha sofrendo redução ao longo do ano) se manteve em R$ 454,09, demonstrando a recuperação do poder de compra dos consumidores. Além disso, a utilização de novas tecnologias (que melhoraram os mecanismos de detecção de comportamentos suspeitos) evitou um prejuízo de R$ 292,5 milhões em fraudes, o equivalente a uma economia de 91% em relação a 2018.

Os segmentos que mais faturaram, em 2019, foram telefonia e eletrodomésticos (14,8%) e ventilação (14%), seguidos de entretenimento (10,3%), moda e acessórios (7,4%) e informática e câmeras (6,8%). Considerando o volume de pedidos, o ranking muda um pouco, com moda e acessórios na liderança (15,2%), acompanhado de entretenimento e beleza (10,9%), perfumaria e saúde (10,1%), artigos para casa (6,7%) e telefonia (5,7%). 

Outro dado interessante dessa pesquisa é o perfil dos clientes de e-commerce. Em 2019, as mulheres lideraram as compras de Natal com 53,4% dos pedidos, enquanto que a maior parte dos consumidores, com 34,6% das compras, tinha entre 36 e 50 anos. As pessoas entre 26 a 35 anos somaram 33,3%, seguidas de jovens até 25 anos (18%) e compradores acima de 51 anos (14,1%). O Sudeste fez 66,7% dos pedidos, Sul e Nordeste tiveram 13,7% e 12,1%, respectivamente, seguidos do Centro-Oeste, com 5,5% das compras, e do Norte, com 2% do total. 

Para acompanhar esse crescimento das vendas tanto nas lojas quanto nas plataformas de compras, as marcas precisam avaliar os números de 2019 e repensar suas estratégias para os próximos anos. É importante oferecer variedade de produtos e serviços, programas de fidelidade e campanhas promocionais, além de ter mais de uma opção de entrega (comprar on-line e retirar na loja, por exemplo). Produtos mais versáteis, que fogem do padrão e são voltados para nichos específicos, também podem ser uma ótima pedida para o varejo.