IPF INTERNATIONAL PLASTIC FAIR JAPAN

06/10/2020 a 10/10/2020

SIAL 2020

18/10/2020 a 22/10/2020

Veja todos os eventos
fechar

Os jovens da Geração Z: um grande desafio para a indústria de embalagens


O futuro do consumo já chegou. E ele está sendo moldado pelos exigentes jovens da Geração Z – conectados, criativos, defensores com unhas e dentes de tudo aquilo que acreditam e sempre em busca de criar conexões com marcas para expressar suas identidades. 

Agora, o principal desafio que o mercado (não só de embalagens) enfrenta é: como desenvolver soluções para acompanhar as demandas desses novos consumidores? Será que os negócios estão preparados para se relacionar com o público Z? 

Hoje você vai conhecer as características mais marcantes dessa geração e entender como as marcas e a indústria estão se reinventando para criar diálogos verdadeiros com essa galera.

Fora da caixa

Eles nasceram entre meados da década de 90 e 2010, cresceram com a tecnologia na ponta dos dedos e, até o fim de 2019, representarão a maior parte da população mundial. Além disso, a expectativa é de que esses jovens serão quase 40% dos consumidores até 2020. Mas a realidade é que nem precisamos esperar o próximo ano para perceber o potencial que a Geração Z tem para impactar a forma como consumimos e, principalmente, como a indústria disponibiliza seus produtos. Os efeitos dessa nova mentalidade de consumo já começam a ser percebidos e, certamente, as empresas que não se adaptarem à “Era Z” ficarão para trás.

Um raio X dos jovens da Geração Z

Na contramão das gerações anteriores, os Zs não conheceram a vida sem internet. Estamos falando de pessoas que não veem limites entre físico e digital. Aí está o desafio mais básico (e provavelmente o mais importante) a ser superado pelas marcas que querem se aproximar desse público: acompanhar o que está rolando no ambiente digital e sempre pensar em soluções capazes de integrar múltiplas realidades e canais.

Tão importante quanto transitar com facilidade pelos mundos on e offline para se conectar com esse público é valorizar sua individualidade. Isso porque, cada vez mais, os jovens da Geração Z vêm priorizando marcas capazes de construir diálogos que se encaixam em sua realidade, tenham valores alinhados com os seus e, principalmente, criem soluções personalizadas para abraçar suas dores. Além disso, o senso de comunidade desses novos consumidores é sem precedentes. E isso significa que, muito mais do que entender as características individuais dessas pessoas, os negócios precisam atuar como pontes para conectá-las com seus grupos. 

Mas não é só isso. Pela primeira vez na história, o varejo encara uma geração de consumidores extremamente ativa em relação a movimentos políticos, culturais e artísticos. Assumir responsabilidades sociais e agir com transparência não se trata mais de um diferencial, mas sim de uma obrigação para as empresas que querem se destacar. 

E por falar em transparência, é vital que os negócios entendam que a autenticidade é um valor inegociável para os Zs. Ao contrário dos millennials, que sempre priorizaram padrões estéticos e filtros, os jovens da Geração Z preferem a espontaneidade da vida real, fazem questão de expor suas fragilidades e ignoram as regras estéticas e sociais. Com os novos consumidores, a regra é clara: quanto mais diferenciado, melhor. Portanto, esqueça a ideia de que jovens são todos iguais. 

Embalagens que conectam

Não é nenhuma novidade que a apresentação de um produto está entre os fatores mais importantes na decisão de compra. Afinal, as embalagens simbolizam o primeiro contato entre uma marca e o cliente no ponto de venda. Mas, se até pouco tempo atrás elas representavam apenas uma solução para armazenar e transportar objetos, essa perspectiva está sendo ressignificada profundamente pela Geração Z. Agora, as embalagens passam a representar também uma ferramenta para comunicar valores, reafirmar modos de vida e criar diálogos entre empresas e consumidores. 

Não por acaso, a indústria tem voltado cada vez mais suas atenções para o poder que a apresentação de seus produtos tem na construção de vínculos emocionais e conexões com o público jovem. O investimento em design, soluções criativas e disruptivas, novas tecnologias, sustentabilidade e conteúdo relevante funciona como um diferencial para as marcas que se destacam e conseguem criar laços autênticos com os jovens da Geração Z. 

A Lola Cosmetics é exemplo disso. A marca brasileira de cosméticos, que já carrega no DNA a responsabilidade ambiental e se propõe a criar soluções personalizadas pensando na diversidade de suas consumidoras, encontrou nas embalagens uma maneira de conquistar, contar histórias e criar experiências positivas para o público Z desde o primeiro contato. 

Os produtos saltam aos olhos nas prateleiras: nomes e expressões super criativos, atuais e bem-humorados, ilustrações que trazem à tona a vida real, cores vibrantes e rótulos que carregam uma linguagem descontraída, informações claras sobre o produto e soluções práticas para a rotina de beleza das mulheres já se tornaram marcas registradas da Lola. 

A Pantys, marca de lingeries sustentáveis, também explorou com sucesso o poder de conexão das embalagens com os jovens. Para levar ao público as calcinhas absorventes criadas em parceria com a Sempre Livre, a empresa apostou em uma caixa que carrega tecnologia, storytelling e valoriza a singularidade da Geração Z. 

Além de um apelo estético atual, que se conecta com os Zs, e de uma linguagem didática e próxima para apresentar o produto, as embalagens apresentam um QR Code que, ao ser escaneado, direciona as pessoas para uma página com instruções de uso e informações sobre a calcinha absorvente. 

Já a Doritos vem constantemente se reinventando e criando edições limitadas para se comunicar e apoiar os jovens. Não por acaso, a empresa de salgadinhos está entre as favoritas da Geração Z. Neste ano, a marca relançou o Doritos Rainbow, com snacks na cor do arco-íris e uma embalagem que reforça o apoio à comunidade LGBTQI+ e convida as pessoas a serem autênticas. Um prato cheio para estreitar os laços com um público que busca ser valorizado pelo que é. 

A Coca-Cola também se destaca no relacionamento com esses novos consumidores. Em março deste ano, por exemplo, a empresa lançou em parceria com a Marvel Studios uma edição especial das latas e garrafas de Coca-Cola Zero, estampadas com doze personagens do filme Vingadores: Ultimato – que estava prestes a estrear nos cinemas. Por meio de um aplicativo, o público tinha acesso a quatro diferentes experiências em realidade aumentada ao escanear a embalagem. Uma verdadeira aula de como eliminar as fronteiras entre físico e virtual para criar conexões com os nativos digitais.

Entender para criar vínculos

O que não faltam são boas referências de marcas nacionais que já perceberam a importância de se conectar com os jovens da Geração Z num momento em que a influência desse público sobre o cenário do consumo só cresce. Agora, a grande missão da indústria de embalagens é criar soluções para valorizar a identidade, proporcionar experiências personalizadas e se adaptar ao lifestyle desses consumidores. Tudo isso com uma boa dose de criatividade, tecnologia e, principalmente, autenticidade.