LUXE PACK SHANGHAI

07/07/2020 a 08/07/2020

Korea Pack 2020

27/07/2020 a 30/07/2020

Veja todos os eventos
fechar

Análise de dados: entenda seu impacto para as embalagens


Recentemente, a NRF 2020 — que é uma das principais feiras de varejo do mundo e conhecida por revelar as tendências desse setor — destacou a importância do Google Analytics e de várias outras soluções de análise de dados para a otimização dos negócios. Isso porque, apoiado nesses estudos, um varejista tem acesso a informações que podem ajudá-lo a entender como melhorar os processos da sua empresa. O que se reflete na otimização de estoques, no ambiente da loja e no atendimento ao cliente, por exemplo.

Uma dessas melhorias é a automatização dos processos das empresas, que já vem sendo feita por algumas marcas.  Essa mudança serve, por exemplo, para aumentar a eficiência do seu atendimento, oferecendo aos clientes uma experiência valiosa durante a jornada de compra. E tudo isso com base na análise de dados relativos às preferências e necessidades dos consumidores, que podem revelar quais processos precisam ser otimizados.

Para realizar essa automatização, as marcas vêm utilizando tecnologias avançadas, como a Inteligência Artificial, que podem oferecer mais comodidade e autonomia aos consumidores. Como exemplo disso, podemos citar as lojas que oferecem serviços de compras sem intermédio de vendedores. Nelas, a transação acontece apenas com a identificação do cliente através de um QR Code e o pagamento é feito com cartão. Além disso, já existem até lojas on-line que escaneam o corpo dos clientes através de um aplicativo, para reduzir a necessidade de troca das roupas. 

Afinal, como funciona a análise de dados?

Todas as empresas, em maior ou menor medida, produzem informações que são úteis para seu negócio. E elas podem ser coletadas de diversas formas. Por exemplo, nas pesquisas de satisfação com clientes ou em filmagens de câmeras de segurança, que mostram quais seções da loja foram as mais visitadas. E esses dados podem ser coletados e analisados com agilidade, destinando as informações mais relevantes ao varejista e identificando algumas tendências de consumo.

Isso pode ser feito através de um processo chamado de Big Data, que pode ser aplicado em qualquer segmento do varejo. Ele é formado por cinco pilares — volume, velocidade, variedade, valor e veracidade — e, com o uso de ferramentas adequadas, é capaz de tratar, até mesmo, dados que não estão estruturados. Assim, podem ser obtidas informações relevantes para a tomada de decisões das marcas. Como resultado, o tempo e custos de produção são reduzidos e o desenvolvimento de novos produtos pode ser impulsionado, por exemplo. 

E como aplicá-la ao seu negócio?

A análise de dados pode ser uma influência positiva para todos os segmentos do varejo, inclusive a indústria de embalagens. Neste caso, o Big Data pode mostrar quais embalagens e épocas do ano vendem mais, além de traçar perfis dos consumidores. Consequentemente, as empresas podem usar essas informações para pensar em novos materiais e um design que atenda melhor aos seus clientes, embalagens que podem ser recicladas ou reutilizadas e, até mesmo, tampas de fácil abertura.

Outra aplicação importante da análise de dados está relacionada à previsão de demandas e tendências. Uma delas está relacionada ao fato dos consumidores, cada vez mais, fazerem suas compras através de canais variados. Ou seja, utilizando lojas físicas e plataformas on-line. Nesse sentido, as empresas podem utilizar os dados de pós-venda para entenderem como otimizar suas embalagens, que são o principal ponto de contato da marca com os seus clientes. 

Já a automatização dos processos pode ser aplicada na produção, estocagem e transporte das embalagens. Assim, há uma melhoria logística e, consequentemente, redução de custos,  tempo e matéria-prima necessária para a fabricação dos produtos. Além disso, a tecnologia pode ser usada nas embalagens para estreitar o relacionamento das marcas com seus públicos. O que pode ser feito com o uso de um QR Code que direcione a promoções ou informações interessantes aos consumidores e possam envolvê-los com a marca, por exemplo. 

Conheça algumas etapas para aproveitar o Big Data

Quando temos uma enorme quantidade de dados para serem avaliados, é fato que essa tarefa se torna mais difícil. Assim, para fazer uma análise de dados mais aprofundada, utilizando de forma ampla todas as informações relevantes disponíveis em equipamentos e processos da sua empresa, é muito importante seguir alguns passos:

  1. Defina objetivos claros. Seria uma nova embalagem ou um redesign?
  2. Concentre-se nos dados principais. Se for um redesign, quais os aspectos da embalagem que os clientes mais comentaram?
  3. Trabalhe em equipe. Afinal, a produção de embalagens envolve também outras áreas, como marketing e setor de compras.
  4. Analise os dados regularmente. As tendências mudam e as embalagens precisam ser atualizadas.
  5. Monitore as janelas de produção. Combinações diferentes de matérias-primas das embalagens permitem uma maior ou menor inatividade dos equipamentos. 
  6. Dê atenção às métricas de eficiência. A quantidade de resíduos das embalagens podem indicar, por exemplo, o quanto o processo produtivo está sendo bem aproveitado ou não. 
  7. Atualize seus equipamentos. Para obter os dados necessários, instale novos softwares.
  8. Faça uma avaliação histórica. Ao traçar uma linha do tempo, é possível visualizar melhor as lacunas do processo produtivo das embalagens. 

Embora sejam claramente visíveis os benefícios da análise de dados, a maioria das empresas ainda não utiliza o Big Data da melhor forma possível, talvez por falta de recursos ou conhecimento. Portanto, a ferramenta se mostra hoje um grande diferencial para as empresas que desejam melhorar seus processos. E, mais do que isso, investir na produção de embalagens eficientes e que despertem o desejo dos consumidores.