Digitalizando!

13/05/2021 a 13/05/2021

ECOMONDO BRASIL

08/06/2021 a 10/06/2021

Veja todos os eventos
fechar

Consumidores multiculturais lideraram crescimento de beleza em 2020


Durante a pandemia, a área da beleza e cuidados pessoais cresceu 16% nas vendas em dólares em 2020, e dados da NielsenIQ indicam rápido crescimento entre compradores de beleza negros e latinos.

Os consumidores latinos têm uma base cultural forte para a beleza que não se intimidou no ano passado, pois foram o único grupo étnico a impulsionar o volume de cosméticos coloridos em 2020, gastando 13% a mais do que o consumidor médio de beleza e cuidados pessoais.

  • Os compradores latinos aumentaram os gastos com beleza em 6,1% em 2020, contra a média de 3,5%. Os compradores negros aumentaram seus gastos em 5,4%.
  • Entre os consumidores latinos, aqueles com renda abaixo de US$ 50.000 representam 38,8% das famílias que compram e 39,6% das vendas em dólares.
  • Para consumidores negros, os compradores de baixa renda (menos de US$ 50.000) representam 43,4% dos compradores de produtos de beleza e 39,1% das vendas em dólares.
  • Os consumidores latinos compram unhas artificiais e cosméticos para os lábios 1,4 vezes mais do que o consumidor médio.
  • Os consumidores negros têm 2,4 vezes mais probabilidade de comprar produtos para os cabelos e 1,9 vezes mais chances de comprar produtos para modelar os cabelos.
  • 21% dos compradores latinos disseram que comprariam mais produtos naturais, contra 11% dos compradores brancos.
  • 39% dos compradores negros planejam comprar de marcas pertencentes a negros, enquanto 29% esperam comprar de marcas que falaram sobre a importância da vida negra.

Dados do parceiro da NielsenIQ Strategic Solutions International disseram que 41% das mulheres negras mudaram suas rotinas de cabelo durante a pandemia de coronavírus.

Os eventos do ano passado em torno do movimento Black Lives Matter tornaram a indústria da beleza ciente das desigualdades sistêmicas, e os consumidores começaram a prestar atenção em quem estava fabricando e vendendo as marcas e produtos que estavam comprando. Cabe às marcas e varejistas atender às necessidades do consumidor multicultural.

“Quando falamos com os consumidores negros, ainda há lacunas em encontrar todos os produtos que fazem tudo o que eles querem”, disse Anna Mayo, Diretora de Clientes da Beauty Vertical da NielsenIQ. “As lojas de produtos de beleza são locais ideais e de um potencial enorme de consumo para eles, porque não conseguem encontrar suas necessidades atendidas em lojas de massa. A diversidade de sombras percorreu um longo caminho, mas ainda não está atendendo a todas as necessidades.”

(Fonte: Cosmetic Innovation, 20 de abril de 2021)