Estudo ABRE Macroeconômico da Embalagem e Cadeia de Consumo no Brasil

18/03/2021 a 18/03/2021

FESPA Brasil

24/03/2021 a 27/03/2021

Veja todos os eventos
fechar

Embalagens de suco do bem se transformam em telhas recicladas e são usadas como obras de arte por artistas urbanos


Depois de anunciar a plataforma de sustentabilidade Bagaço do bem com o compromisso de compensar 100% da quantidade de embalagens longa vida produzidas por ano e dar novos formatos para os resíduos, a do bem, empresa de bebidas saudáveis da Ambev, amplia o processo de ressignificação das embalagens e transforma os materiais reciclados em telhas que serão utilizadas nas construções da TETO. A organização, que constrói moradias emergenciais, desenvolve projetos comunitários em áreas de vulnerabilidade em diversos estados do Brasil.

Para celebrar o início dessa parceria, a marca convidou cinco artistas urbanos, com estilos e traços distintos, que se conectam com propósito do projeto para utilizarem as telhas como fundo em branco e dar um mood urbano e moderno às criações. As obras especiais serão leiloadas e todo o valor arrecadado será destinado à TETO. Desde 30 de novembro, as peças dos artistas Eve Queiroz, Crica Monteiro, Coletivo SHN, Tikka Meszanos e Nina Satie estavam disponíveis para os lances.

Para participar, os interessados deveriam fazer um breve cadastro por meio da plataforma SuperBid. É importante destacar que cada artista foi responsável por indicar o lance mínimo inicial de cada peça.

“Nosso compromisso é transformar embalagens recicladas em diferentes produtos que serão destinados para iniciativas do bem. As telhas são mais um exemplo de como a inovação e a tecnologia podem juntas construir uma energia criativa que transforma”, explica Tiago Schmidt, Gerente de Marketing da do bem. “Queremos incentivar esse debate de transformação dos resíduos em arte. Porque além de colaborar com a iniciativa e adquirir uma obra exclusiva, as pessoas ajudarão a potencializar o trabalho da organização e o aproveitamento dos materiais recicláveis”, conclui Schmidt.

Para o projeto, a do bem conta com a parceria da empresa IBAPLAC, que transforma as embalagens longa vida em telhas. No processo de transformação são necessárias em média 500 caixinhas para produzir uma telha, sendo que a TETO utiliza 12 telhas e quatro cumeeiras na construção de cada casa, um total de 6347 caixinhas.

(Fonte: In Press Porter Novelli, 01 de dezembro de 2020)