Volume de carne bovina brasileira exportada cresce 19,4% em 2013

2110_2O mercado de carne bovina confirmou seu bom momento ao fechar o acumulado entre janeiro e setembro com um crescimento de 19,4% no volume de produtos exportados para mais de 130 países. No total, foram 1,085 milhão de toneladas negociadas, representando um faturamento de US$ 4,8 bilhões de dólares – valor 13% superior ao do ano passado (US$ 4,2 bilhões).

Segundo Antônio Jorge Camardelli, presidente da ABIEC (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne), “estes números são uma prova de que, cada vez mais, o Brasil tem ocupado papel de destaque como fornecedor internacional de carne bovina. Temos registrado uma firme demanda durante todo o ano de 2013, culminando em um mês de setembro com números recordes em faturamento e volume”, afirmou.

No acumulado do ano, Hong Kong retomou o posto de principal mercado comprador da carne brasileira, com crescimento em volume de 71,4% em relação a 2012, chegando a 268,2 mil toneladas. A Rússia aparece logo em seguida, com crescimento no total de carne exportada de 13,2%.

Se considerados os resultados unicamente do mês de setembro, destaque para a Venezuela, que dobrou a quantidade de carne negociada de 7,3 mil toneladas em agosto para mais de 16,9 mil em setembro.

A carne in natura continua sendo a categoria mais desejada pelos importadores, totalizando faturamento de US$ 3,8 bilhões e volume exportado de 850,2 mil toneladas (jan-set/2013).

A indústria brasileira de carne bovina vê cada vez mais próxima a possibilidade de bater a estimativa definida no começo do ano, de superar a marca de US$ 6 bilhões em faturamento e 1,5 milhão de toneladas exportadas. “Além dos resultados muito significativos que temos atingido, estamos avançando nas negociações com países que possuem embargos à carne brasileira e estamos otimistas de que podemos reabri-los em breve”, explica Camardelli. O Brasil também contesta a manutenção do embargo de países como África do Sul e Japão no âmbito do Comitê Sanitário da Organização Mundial do Comércio.

(Fonte: DCI, 16 de outubro de 2013)