Vendas de genéricos somam R$ 4,2 bilhões e crescem 21,2% em unidades de janeiro a maio

Vendas de genéricos somam R$ 4,2 bilhões e crescem 21,2% em unidades de janeiro a maioOs medicamentos genéricos fecharam os cinco primeiros meses de 2012 mantendo forte expansão nas vendas. O segmento mais uma vez apresentou crescimento superior ao registrado pelo mercado farmacêutico total. De janeiro a maio deste ano foram comercializados 264 milhões de unidades de genéricos no mercado brasileiro contra 216 milhões em igual período de 2011, o que representa alta de 21,2%.

As vendas nos cinco primeiros meses somaram R$ 4,2 bilhões, cravando um aumento de 34% frente aos R$ 3,1 bilhões apurados no mesmo período de 2011. Os dados são do IMS Health, instituto que audita o mercado farmacêutico no Brasil e no mundo.

Em maio, a participação de mercado dos genéricos em unidades bateu a marca de 26%, ante 24,4% no mesmo período do ano passado. Em valores também se detectou aumento na participação dos genéricos. De janeiro a maio de 2011 o share era de 19,9% e no mesmo período deste ano saltou para 22,3%.

O mercado farmacêutico total também vem apresentando crescimento frente aos cinco primeiros meses de 2011, porém em ritmo inferior ao dos genéricos. O conjunto da indústria registrou vendas de 1,0269 bilhões de unidades de janeiro a maio de 2012 contra 921,6 milhões em igual período do ano anterior, fechando com alta de 11,7%. Pelo critério valor houve avanço de 17,8% no período. As vendas totais foram de R$ 19,4 bilhões contra R$ 16,5 bilhões registrados de janeiro a maio do ano passado.

Ao excluir os genéricos da avaliação sobre desempenho do mercado farmacêutico brasileiro, se constata que ele apresentou crescimento de 8,5% no volume de unidades comercializadas. Pelo critério valor, o mercado farmacêutico total, excluindo os genéricos, apresentou evolução de 2,2% no período, considerando as vendas auditadas em dólar.

De acordo com a presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (PróGenéricos), Telma Salles, o setor deve superar a marca de 30% de participação de mercado ainda em 2012. “Neste ano teremos crescimento acima de dois dígitos, superando o desempenho do restante do setor farmacêutico e bem acima da expectativa que se tem em torno do PIB.

Isso se deve ao fato de que os genéricos reúnem dois atributos muito importantes para qualquer produto: bom preço e qualidade”, afirma.

A executiva explica que embora os genéricos sejam por lei obrigados a custar 35% mais baratos que os medicamentos de referência, os consumidores podem encontrar genéricos com preços 70% mais baixos. “Essa oportunidade de acesso por meio de produtos de baixo custo e o aumento da confiança dos consumidores nos genéricos explicam o desempenho do setor”, conclui Salles.

(Fonte: Portal Fator Brasil, 26 de junho de 2012)