Surfista brasileiro cria pranchas com garrafas PET

Surfista brasileiro cria pranchas com garrafas PETO surfista brasileiro Jairo Lumertz elaborou um projeto interessante que une seu ofício com a sustentabilidade. Ele ensina crianças a transformar garrafas PET em prancha de surf.

A ideia surgiu durante uma viagem no Havaí, em 2007, e se concretizou tempos depois com a ajuda de amigos aqui no Brasil. Seu objetivo é promover esporte e consciência ambiental entre crianças e adolescentes.

São fabricados e comercializados tradicionalmente dois tipos de pranchas: as de resina de poliuretano com resina de poliéster insaturado e de poliestireno epóxi. Tobias Schultz, um dos membros do projeto, investigou o impacto ambiental de ambas as fabricações e descobriu que os dois tipos geram muita poluição e muito resíduo de matéria-prima. Por isso, as pranchas alternativas são boas opções.

Lumertz deixa claro que o produto pode ser feito pelas próprias crianças, mas não deve ser utilizado em ondas muito grandes, afinal, não é tão resistente quanto à prancha convencional. Ao tentar “pegar” uma onda grande há o perigo dela se partir, correndo o risco de machucar alguém. Em sua página no Facebook, o grupo responde a um membro da rede afirmando que a cola é resistente e especial para a prancha e acidentes desse tipo nunca aconteceram.

Além de ajudar o meio ambiente, a prancha de garrafas PET é uma maneira de agregar crianças de baixa renda ao esporte mais restrito às famílias com melhores condições financeiras. Depois de o projeto ser destaque no programa Globo Esporte, muitas escolas demonstraram interesse no projeto e algumas nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro receberam palestras do grupo.

(Fonte: Ciclovivo, 10 de janeiro de 2013)