Projeto de ressocialização apoiado pela Antilhas completa 10 anos

Projeto de ressocialização apoiado pela Antilhas completa 10 anosTodos podem reescrever sua história. Esta é a visão do Instituto Papel de Menino (IPM), organização sem fins lucrativos que atua com a ressocialização de adolescentes que cumprem medidas socioeducativas. O projeto celebrou 10 anos de atividades no último dia seis de novembro com uma reflexão sobre sua história, avanços e projetos do presente e para o futuro. A Antilhas Embalagens apoia e é o principal parceiro fundador do IPM.

O evento no Centro Cultural B_arco, em São Paulo, reuniu colaboradores, apoiadores e especialmente jovens que passaram pelo Instituto Papel de Menino e tiveram suas vidas transformadas após participarem das iniciativas lideradas pela diretora Silvana Urbani. Ela contou sobre o surgimento do IPM, as dificuldades enfrentadas no início, o desafiador contato com os rapazes, as histórias reais de vida – tristes e felizes – e como o projeto vem conseguindo, passo a passo, mudar a trajetória de muitos dos adolescentes em processos de ressocialização.

“A história do IPM traz para a sociedade a mensagem que é possível sim acreditar nos meninos, que eles podem ter uma nova missão de vida. Não é uma batalha fácil, há muitos obstáculos a serem enfrentados, mas com a ajuda dos voluntários e apoiadores estamos conseguindo ser um suporte na recuperação do vínculo entre o jovem e sua família e também em sua ressocialização. Cada história de sucesso relatada pelos nossos garotos é uma motivação a mais para seguirmos em frente com o trabalho”, relata Silvana.

O Instituto Papel de Menino realiza, há 10 anos, visitas a unidades da Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) de Franco da Rocha – SP, levando oficinas socioeducativas, atividades de lazer, capacitação e promovendo o diálogo. A criação deste laço é ponto fundamental ao êxito do projeto. Outra linha de atuação dos voluntários do IPM é fazer com que a família esteja sempre ao lado deste jovem, durante e após o cumprimento da pena; este acompanhamento dos adolescentes egressos, estimulando sua confiança, é parte do processo e faz com que eles se sintam mais amparados e preparados para os próximos desafios.

Antilhas Embalagens faz parte da história de sucesso do Instituto. Sandra Ramos, Gerente de RH e Sustentabilidade da Antilhas, foi quem conheceu o projeto e fez a aproximação dos voluntários com a empresa. “Logo que tive o primeiro contato percebi o quanto este trabalho seria relevante para a sociedade e acreditamos que seria possível investir na recuperação de pelo menos um menino, o que já valeria a pena. Com o contínuo apoio da Antilhas, buscamos formas de dar suporte às atividades, tanto com a ajuda financeira, como também com o fornecimento das sobras de papel laminado, que são utilizadas nas oficinas dentro da Fundação Casa. Hoje, 10 anos depois do início da parceria, podemos constatar que participamos da transformação não de um, mas de muitos meninos e de suas famílias e nos orgulhamos muito disto”.

Durante a celebração de 10 anos, estavam presentes jovens que participaram das atividades do Instituo Papel de Menino enquanto estiveram em cumprimento de medidas socioeducativas. Hoje, eles são chefes de família e conquistaram um trabalho formal, provando que a ressocialização é completamente possível. O evento contou ainda com exposição e ações interativas mostrando a realidade do sistema penitenciário brasileiro.

Agora, o Instituto Papel de Menino tem um novo sonho: a Padaria-Escola Pão Nosso, que visa capacitar os jovens – e seus familiares – na área de panificação, para que tanto os meninos da Fundação Casa como os egressos tenham melhores condições ao entrar no mercado de trabalho. Quem quiser conhecer com profundidade o projeto e ser um apoiador, pode entrar em contato com o IPM.

O Instituto Papel de Menino

O Instituto Papel de Menino (IPM) é uma organização sem fins lucrativos que acredita ser possível a ressocialização de adolescentes que cumprem medida socioeducativa, a partir do resgate da valorização pessoal e de vínculos familiares. O IPM promove visitas aos domingos na Fundação Casa para a formação de vínculos entre os voluntários e os meninos. Há também a visita às famílias dos jovens, rodas de conversa, além de atividades de educação, arte, cultura e qualificação profissional. Os interessados em saber mais sobre o Instituto Papel de Menino podem entrar em contato em projeto@papeldemenino.org.br ou no site www.papeldemenino.org.br.

(Fonte: Antilhas, 23 de novembro de 2018)