O tsunami grisalho e a comunicação: como entender um mercado emergente de 50 milhões de pessoas

Está o mercado preparado para o tsunami grisalho?

Esta pergunta é emergente e essencial. Sua resposta requer atenção imediata.

O tsunami grisalho e a comunicação: como entender um mercado emergente de 50 milhões de pessoasCom poucas exceções, as empresas, as associações e mesmo os governos estão muito pouco preparados. Aliás, estão assistindo ao rápido envelhecimento da população de camarote, quase inertes, sem saber como reagir, nem que atitude tomar.

O Brasil precisa acordar. Um primeiro dado para mostrar a importância deste segmento que supera os 50 milhões de brasileiros é uma comparação com o primeiro mundo. As pesquisas mostram que os adultos idosos nos países ricos já estão consumindo a impressionante cifra de 40.000 dólares por ano, contra os 30.000 dos adultos entre 30 e 45 anos.

Mas mesmo com estes dados alarmantes o mundo também parece reagir ainda muito lentamente a esta realidade. Dados do The Economist apontam que somente 30% das empresas estão incluindo o mercado grisalho em seus planos estratégicos. Pior, segundo o Boston Consulting Group (BCG), apenas 15% das companhias criou algum tipo de estratégia de negócios focada em adultos idosos. E vejam que o BCG estima que em 2030 a população acima dos 55 anos será responsável, nos EUA, por 50% do crescimento do consumo, 67% do crescimento no Japão e fabulosos 86% na Alemanha.

Joseph Coughlin, um dos maiores estudiosos do mercado grisalho, diretor do AgeLab do MIT, em seu livro The Longevity Economy: Unlocking the World’s Fastest Growing, Most Misunderstood Market, mostra sua inconformidade com esta miopia empresarial.

Coughlin mostra que em 2015 o consumo dos americanos acima dos 50 anos superou os 5,5 trilhões de dólares, enquanto os que têm menos de 50 anos gastaram menos de 5 trilhões. Ou seja, o mundo já é grey. A próxima onda será a do old is beautiful.

Coughlin segue apresentando dados sobre esta miopia. Em 2015 as empresas gastaram cinco vezes mais com millennials do que com todos os outros grupos etários reunidos. Não deixa de ser então natural que os adultos idosos achem que as empresas não lhes dedicam atenção. Uma crise? Certamente… E a ser aproveitada.

Para tratar do fenômeno no Brasil a Free Aging, em parceria com a ESPM, está reunindo um time de especialistas em comunicação, marketing e consumo para trazer aos estrategistas de comunicação, publicidade, propaganda e marketing das empresas uma coleção de pesquisas que estudam este ainda tão desconhecido, mas tão vital mercado.

Estas pesquisas serão debatidas no Fórum de Comunicação e Consumo para o Mercado Grisalho, que acontecerá no dia 9 de maio de 2019 na ESPM.

O evento tem como principais objetivos entender os tipos de segmentação existentes, discutir a consolidação do mercado grisalho e ressignificar a comunicação com estas importantíssimas e crescentes parcelas da população brasileira.

No evento de um dia serão tratados temas como: imagens dos velhos na publicidade ontem e hoje; o envelhecimento sob o olhar da psicanálise; o mercado grisalho nas pesquisas da ESPM; a economia da longevidade; a segmentação do mercado grisalho; os idosos no universo digital; o mercado grisalho na visão das empresas; e os idosos empreendedores.

O fórum, que é dirigido aos executivos de marketing, comunicação, publicidade e propaganda, empreendedores, gerontólogos, especialistas e estudiosos do mercado grisalho, influenciadores digitais e imprensa especializada, trará painéis sobre os desafios da comunicação e do consumo para o mercado grisalho, através de pesquisas acadêmicas, de mercado e casos práticos de empresas. O objetivo é gerar insights para aproveitar as oportunidades deste crescente mercado, trazendo reflexões sobre os caminhos para a melhoria dos produtos e serviços para o consumidor mais velho.

As inscrições são feitas pelo site: www.forumgrisalho.com.br.

Associados ABRE tem 10% de desconto.

(Fonte: Free Aging, abril de 2019)