O charme e a praticidade dos sleeves e outras tendências

O charme e a praticidade dos sleeves e outras tendênciasOs rótulos e etiquetas oferecem flexibilidade e funcionalidade de marketing para a marca, além de ter a função de capturar o interesse do consumidor, mas há muitos obstáculos e escolhas a considerar para se determinar o que funciona melhor.

Os segmentos de beleza e cuidados pessoais representam um desafio para a criação de suas embalagens, uma vez que os fabricantes devem encontrar maneiras de destacar seus produtos nas prateleiras.

A popularidade dos sleeves, uma espécie de rótulo decorado que é formatado à forma doO charme e a praticidade dos sleeves e outras tendências frasco, é atribuída a vários fatores. No topo da lista estão a sua flexibilidade e versatilidade para produtos de beleza e higiene pessoal. Os sleeves estão disponíveis em papel (geralmente para bebidas) e filme, com escolhas de materiais que oferecem uma vasta gama de imagens e opções gráficas, bem como efeitos táteis.

“Uma das razões de nossas opções pelo sleeve é que esta ferramenta permite uma área de impressão grande, 100% aproveitável diz Francis Canterucci, gerente de marketing da Phisalia.

Uma das vantagens do sleeve é também a sua relação custo-benefício, entretanto, há que se considerar que tipo de projeto é conveniente a um rótulo sleeve: “Apesar desta ferramenta  ter uma visualidade muito boa, assim como o seu  custo benefício, cada projeto é um projeto. Há toda uma concepção a ser transmitida ao seu público,” diz Francis Canterucci..

As possibilidades do sleeve para produtos de higiene pessoal e beleza são grandes e alcançam inclusive a perfumaria. O Boticário, por exemplo, já se utilizou deles para uma edição comemorativa aos 30 anos da empresa com as Ânforas Colecionáveis.

Os segmentos de beleza e de cuidados pessoais contam com mais um desafio na concepção de suas embalagens, uma vez que devem cumprir também com uma lista crescente de regulamentações federais em particular, como os produtos de beleza com fator de proteção solar (FPS) que agora têm mais texto para incluir, devido às exigências do Food and Drug Administration dos Estados Unidos em decisão recente quanto aos produtos de balcão, como medicamentos e protetores solar. A regra visa garantir uma rotulagem apropriada e testes de UVA e UVB, bem como o seu uso adequado.

“Acho que o interessante é integrar essas informações com o resto do layout. Evitar sobreposições com outlines e usar tipografias que sejam claras e ao mesmo tempo discretas, mas como um elemento que faz parte da composição e não algo que foi esquecido e precisou ser colocado ali,” diz Rodrigo Costabeber, da agência B+G.

Outra vantagem do ‘sleeve’ é que por não ser colado, pode ser totalmente removido e separado para reciclagem. “É fundamental que isso esteja impresso e indicado em todos os rótulos termoencolhíveis”, aponta Rodrigo.

Para Costabeber, o maior desafio é compensar a distorção da arte na embalagem final. “A dificuldade é proporcional ao formato do shape. Se o frasco for mais liso e reto, a distorção será bem menor do que em uma embalagem mais orgânica e com algumas ranhuras. Isso porque com o calor, o filme termoencolhível adere ao formato da embalagem podendo encolher entre 50% e 80% e quanto mais curvas ele tem, maior será a distorção do layout,” explica.

“Vale frisar, que hoje em dia os fornecedores contam com softwares de tratamento de imagem e distorção que proporcionam melhor qualidade e clareza de detalhes nas imagens, poupando a agência da compensação da distorção na arte-final”, explica Costabeber.

Lance Wilson, vice-presidente de vendas e marketing para conversor de etiquetas Labels West, Inc revelou as principais tendências de embalagens que têm impactado o mercado de etiquetas significativamente.

A impressão flexográfica ainda é a tecnologia mais popular para impressão de etiquetas e ela continua a fazer melhorias em tempos de preparação, velocidades de impressão e qualidade. No entanto, a impressão digital está ganhando espaço e popularidade. A impressão digital é especialmente útil para as marcas que desejam rodagens curtas, já que “não há caros custos iniciais, como mudanças de chapa e cópia, que você teria com a tecnologia flexográfica”, diz Wilson.

Outra tendência é o uso de recipientes complexos, frascos de formas únicas, que resultam em filmes adaptáveis usados em rotulagem mais sofisticadas.

Finalmente, um impulso para uma maior sustentabilidade é uma força motriz em novas tecnologias para rótulos e etiquetas. Além disso, as tecnologias e processos mais sustentáveis continuarão a surgir na indústria e vão crescer em importância, segundo especialistas do mercado. Os proprietários de marcas e grandes varejistas estão cada vez mais pedindo, ou mesmo exigindo, que os fornecedores se avaliem com base na sustentabilidade das suas embalagens. Algo que remete à completa análise do ciclo de vida de um produto – do conceito à fabricação e o uso final.

(Fonte: Cosméticos BR, 25 de fevereiro de 2013)