MWV quer ampliar mercado premium de papelão

A MeadWestvaco (MWV), segunda maior fabricante brasileira do setor de papelão ondulado e papéis para embalagens, atrás da Klabin, destinará a oferta excedente da fábrica de Três Barras (SC) para atender a demanda doméstica por papéis do tipo premium.

A estratégia da empresa é adotar um modelo de negócio voltado a soluções para os clientes, com a venda baseada na performance alcançada pelos parceiros, e não meramente no fornecimento de grandes volumes ao mercado.

“Venderemos soluções e as precificaremos por metro quadrado (de embalagens produzidas), e não por tonelada. É um produto que garantirá, por exemplo, uma redução de até 20% na gramatura”, explica o diretor de negócios da MWV, Jairo Lorenzatto. Com uma menor gramatura, ou seja, a necessidade de menos material para a elaboração de uma área equivalente de embalagem acabada, a companhia vê espaço para avançar principalmente em mercados onde há necessidade de maior resistência por parte das embalagens, caso dos alimentos refrigerados, por exemplo.

Chamada de linha HyPerform, a nova geração de papéis kraft e miolo para embalagens da MWV será fabricada na unidade catarinense, a qual recebeu a maior parte do investimento de R$ 1 bilhão realizado pela companhia ao longo dos últimos anos. Além de ampliar a oferta de papéis para o consumo da própria MWV, na área de papelão ondulado, a companhia disponibilizará aproximadamente 130 mil toneladas anuais de papéis ao mercado, dos quais cerca de 100 mil toneladas de kraft. “Falamos de um mercado que precisa, todo ano, de uma oferta adicional entre 80 e 100 mil toneladas”, dimensiona o diretor. Com o investimento em Três Barras, a nova linha de papéis da MWV tem capacidade para produzir 430 mil toneladas anuais, sendo a maior parte desse montante para uso interno da empresa.

(Fonte: Embalaweb, 23 de janeiro de 2014)