Latas de alumínio: novos formatos

Latas de alumínio: novos formatosO mercado de bebidas é extremamente competitivo. A necessidade de ampliar a participação nos canais de distribuição é constante e, para garantir mercado, os fabricantes de bebidas demandam inovações nos formatos e nos tamanhos das latinhas. Atentas a essas necessidades, duas das fabricantes de latas de alumínio para bebidas do país, Crown Embalagens e Rexam, lançaram recentemente novos formatos. O principal objetivo é oferecer diversidade para atender a demanda do mercado de bebidas. “A diversificação de tamanhos e formatos é um dos segredos da competitividade”, afirma Renault Castro, diretor executivo da ABRALATAS.

Há aproximadamente três meses a Rexam lançou a lata gigante de 710ml (24oz). O formato, pioneiro na América do Sul, é utilizado pela cachaça Pitú e pelos energéticos Flying Horse e Extra Power, da Globalbev, e Vulcano  220V, da New Age. Segundo a Rexam, as novas “latas gigantes” começaram a ser fabricadas no início de setembro, na unidade de Pouso Alegre (MG) da Rexam, e atendem a uma tendência de mercado que favorece o compartilhamento de bebidas entre os consumidores.

Já a Crown acrescentou dois novos formatos ao seu portfólio de sete latas. A novidade são as latas de 550ml (18,6oz) e de 425ml (14,4oz). A primeira já está sendo utilizada pelo segmento de energéticos e a segunda deve ser lançada nos próximos 90 dias. “Atendemos a uma demanda de mercado. Os clientes solicitam segmentos diferenciados, analisamos nossa tecnologia e fabricamos novos modelos. O foco depende da estratégia comercial dos clientes. Nosso objetivo é desenvolver o maior número possível de tamanhos de latas para ampliar a participação nos canais de distribuição”, afirma Rinaldo Lopes, presidente da Crown Embalagens.

Os novos formatos não necessitam de cuidados especiais para transporte e armazenamento, a adaptação só é necessária por parte da fabricante de bebidas no envasamento das latinhas. A tendência é que surjam novos formatos. “Sempre haverá mercado para todos os tamanhos, de acordo com o canal de distribuição”, declara Rinaldo.

(Fonte: Notícias da Lata, n.39, 11 de dezembro de 2012)