Lançamento de saco de juta “fecha fácil”

Lançamento de saco de juta “fecha fácil”A Castanhal, maior fabricante de produtos de juta do país, lança uma nova linha de sacaria para embalagem de batata com o exclusivo sistema “fecha fácil”. Disponíveis nos tamanhos 10 kg, 25 kg e 50 kg, a nova embalagem alia praticidade à conhecida proteção ao tubérculo proporcionado pelo fio de juta, que por ser macio e natural, diminui agressões à pele da batata.

“O fecha fácil vai dobrar a produtividade das pessoas empregadas no processo de embalagem da batata, além de eliminar custos como o de fios utilizados para costurar os sacos atuais, compra e manutenção de equipamentos de costura e energia elétrica utilizada neste processo” diz Flávio Junqueira Smith, presidente da Castanhal.

A ideia da nova linha de sacaria surgiu a partir de uma sugestão dos próprios lavadores de batata em virtude da proibição iminente da utilização dos sacos de 50 kg. O Projeto de Lei 5.467 vai alterar um artigo da Consolidação das Leis do Trabalho e o peso máximo que será permitido ser carregado por homens são sacos de 30 kg, e não mais de 60 kg como é hoje.

Essa mudança iria obrigar as lavadoras de batatas, que utilizam sacos de 50 kg, a dobrar suas equipes de trabalho para embalar os tubérculos em sacos de 25 kg. Porém, com a utilização da embalagem fecha fácil, a produtividade da equipe é duplicada e as empresas conseguem manter o mesmo número de funcionários mesmo com a alteração no processo de embalagem.

“Antes era necessário costurar o saco de juta, demandando tempo e dinheiro nesse processo, agora basta puxar e amarrar o fitilho, também de juta, para fechar o saco”, explica Smith.

“Alguns lotes dos novos sacos foram produzidos para os clientes que nos sugeriram as modificações e os testes foram tão positivos que aceleramos o lançamento do produto e já estamos disponibilizando para todo o mercado”, diz o executivo. A expectativa é que dentro de poucos meses todos os clientes conheçam o novo produto e só façam pedidos da nova linha de sacarias.

(Fonte: Portal do Agronegócio, 19 de junho de 2013)