Iogurtes: mudando as embalagens para crescer

O tradicional Café da Manhã ABRE, realizado em São Paulo no último dia 18, trouxe a palestra “Mudando as embalagens para crescer”, ministrada por Liziane Cardoso, Coordenadora de Pesquisa & Desenvolvimento de Embalagens – Laticínios da BRF. O evento realizado pela ABRE contou com o patrocínio ouro da Fispal Tecnologia e Logoplaste, patrocínio prata da Indexflex, bronze da Baumgarten e Prakolar e apoio da Nielsen e CNI.

O evento foi aberto com um panorama do mercado de iogurtes no Brasil feito pela Nielsen e apresentado por Mila Shirai Vieira. Vieira ressaltou que apesar de uma desaceleração do crescimento econômico no Brasil e da estabilidade de vendas das cestas de produtos auditados pela Nielsen, a categoria de iogurtes tem se destacado e apresentado crescimento acima do mercado – maior em valor do que em volume.  Neste ano, por exemplo, houve um acréscimo de 2,5% em volume com relação a 2012, enquanto o crescimento em faturamento foi de 11,6%.

O estudo também apontou que o segmento ganhou novos lares, principalmente, entre as classes mais baixas. A penetração dos iogurtes, que já era alta, saiu de 90% para 90,4%, o que significa um aumento de 1,1 milhão de novas residências que passaram a consumir o produto.

Com relação às embalagens, o garrafão, o saco flexível e os copos são destaque dentro deste segmento. O garrafão e o saco ganham importância por ter um preço por litro mais baixo, possibilitando o acesso, principalmente, para os consumidores de nível socioeconômico médio e baixo. Já os copos apresentam crescimento no faturamento da indústria devido, principalmente, ao desempenho do iogurte Grego, versão de maior valor agregado e que tem um grande potencial de aumentar sua presença, e consequentemente, suas vendas no varejo.

Liziane Cardoso abriu sua palestra explicando que a BRF nasceu da fusão da Sadia e Perdigão, e hoje é uma das maiores produtoras de alimentos proteícos resfriados e congelados do mundo com um amplo portfólio de mais de três mil produtos.

Cardoso ressaltou que o mercado de refrigerados (iogurtes, petit suisse, leite fermentado e sobremesas) mostra-se promissor, pois vem apresentando crescimento contínuo durante os últimos anos e dentro deste segmento os iogurtes em copos crescem a taxas ainda mais expressivas.

Diante deste cenário, a palestrante apresentou o case do iogurte Batavo, já que foi preciso um novo posicionamento da marca para se destacar e aumentar sua participação num mercado em expansão. Para isso, Liziane explicou que depois de um longo trabalho de pesquisa e estudos, a empresa desenvolveu um novo produto com dez vezes mais frutas que outros similares e que ganhou uma embalagem premium com selo de alumínio impresso, etiqueta transparente com impressão em flexo com detalhes dourados e um copo transparente para marcar a diferenciação dos outros produtos.

Logo os resultados apareceram, onde o produto passou da quinta posição no mercado de copos em 2012 para o segundo lugar em janeiro de 2013. A embalagem também foi vencedora Ouro do Prêmio ABRE de Embalagem em 2012.

Para finalizar a palestrante explicou que o iogurte Grego no Brasil já representa 1,6% do volume e 4,5% do faturamento e já atinge vendas acumuladas de 4,4 mil toneladas desde agosto de 2012. Diante destes fatos a BRF também entrou neste mercado com o lançamento de um iogurte Grego com uma embalagem diferenciada que tem um diâmetro de 85 mm, decoração in mold label e selo de alumínio impresso. A empresa também lançou o primeiro iogurte Grego líquido no mercado brasileiro.

(Fonte: Centro de Informações ABRE, 21 de junho de 2013)