Indústria de água mineral quer vendas 35% maiores em 2014

Indústria de água mineral quer vendas 35% maiores em 2014Depois de encerrar 2013 com uma produção de 11 bilhões de litros, a indústria brasileira de água mineral espera um crescimento de 35% nas vendas da bebida neste ano. O principal motivo, além do crescente consumo de água no Brasil, é a Copa do Mundo, já que os turistas estrangeiros e a circulação dos próprios brasileiros pelo país devem fazer o consumo aumentar.

Segundo Carlos Alberto Lancia, presidente da ABINAM (Associação Brasileira da Indústria de Água Mineral), esse mercado ainda tem muito a crescer no país. São mais de 400 marcas existentes em um cenário pulverizado em que a empresa líder – o grupo Edson Queiroz, dono das marcas Indaiá e Minalba – tem apenas 12,8% do mercado.

Segundo Lancia, o impulso de crescimento trazido pelas águas especiais e saborizadas ainda não ocorreu no Brasil. Os tradicionais galões de 20 litros ainda são os mais vendidos, representando 55% do mercado de água.

O otimismo que prevalece nesse setor traz interesse de fabricantes de outras bebidas. Além da Coca-Cola, que atua com a marca Crystal, a Petrópolis comprou uma fábrica em Bragança Paulista para entrar na disputa, e a Ambev se associou à Nestlé para distribuir a marca Pureza Vital.

(Fonte: Supermercado Moderno, 27 de janeiro de 2014)