Hot melts de baixa temperatura para um mercado cada vez mais aquecido.

Hot melts de baixa temperatura para um mercado cada vez mais aquecido.As recentes inovações em adesivos hot melt unindo alta performance à sustentabilidade e suas novas formulações economizam energia e aumentam a velocidade de produção, proporcionando rápido retorno sobre o investimento. As previsões indicam boas notícias para a indústria brasileira de embalagens. À medida que o uso deste tipo de hot melt se populariza e, ao passo que os fabricantes de adesivos aperfeiçoam suas soluções, começam a surgir em nosso mercado cada vez mais produtos para aplicações específicas, ampliando as possibilidades de utilização.

Um recente lançamento da Henkel, o Technomelt Cool 303, é um hot melt de performance standard, o que traz os benefícios das formulações “cool” para todas as indústrias que utilizam esta categoria de aplicação, sem necessidade de troca de maquinário. Além das vantagens acima citadas, gera menor risco de queimaduras severas em caso de acidentes.

Outra área que ganhou novas possibilidades de aplicação é a de hot melts de alta flexibilidade e de alta transparência para embalagens que serão submetidas a congelamento. Uma das maiores indústrias de produtos alimentícios congelados do Brasil tem usado com sucesso um adesivo hot melt de alta performance no fechamento de suas caixas.

A grande inovação está em substituir com sucesso os hot melts com derivados de borracha em sua formulação. Isto diminui drasticamente a carbonização no coleiro, aumentando a produtividade e reduzindo custos com manutenção. Num teste de controle realizado para avaliar a performance deste adesivo, após 8 horas em um teste de estufa, o hot melt com EVA já apresentava carbonização, ao passo que mesmo após 1000 horas na estufa, a nova tecnologia ainda não apresentava carbonização. O alto tack das formulações com derivados de borracha foi mantido, garantindo performance de adesividade e velocidade na linha de produção.

(Fonte: Blog Adesivo Embalagem, julho de 2012)