Concorrência aquece mercado de cosméticos

Concorrência aquece mercado de cosméticosEm um mercado competitivo, e com um número expressivo de empresas que atuam no segmento, a competição na área de cosméticos tende a ser ainda mais acirrada com a entrada de novos players para abocanhar fatias de clientes das classes A, B e C. Assim, reestruturar as operações e buscar inovação podem ser as estratégias para levar a melhor.

Ainda mais depois da chegada da nova rede de franquias Quem disse Berenice, aposta do gigante Grupo O Boticário, sob a gestão do presidente da rede, Arthur Grynbaum. Em menos de um mês, a cidade de São Paulo recebeu seis lojas; a previsão da rede é que, até o final deste ano, o público feminino, consumidor assíduo de produtos dessa categoria, conte com sete lojas abertas – sendo a última a ser inaugurada a do Shopping Metrô Itaquera, na zona leste da cidade.

Com a nova concorrente, marcas como Água de Cheiro, Mahogany, Anna Pegova, e Contém 1g, entre outras, analisam a sua atuação. Além disso, elas estão otimistas, pois têm aproveitado o crescimento da comercialização de cosméticos e produtos de beleza no país, como artigos de maquiagem, perfumes e afins, em quase 20% ao ano. Em 2011, os itens foram responsáveis pela movimentação de US$ 43 bilhões na economia brasileira. O país é o terceiro colocado no ranking mundial, com 10,1% de participação no setor; perde apenas para o Japão, que tem 11%, e para os Estados Unidos, mais de 14%.

Quando computados os dados das empresas que atuam com sistema de franquias da Associação Brasileira de Franchising (ABF), foi percebido que o faturamento dos players atuantes neste nicho subiu 47% no ano passado, outro termômetro do fenômeno que tem sido a área.

Uma das maiores concorrentes das marcas do Grupo O Boticário – atualmente com 3.260 lojas no Brasil, das quais cerca de 900 são franquias, sem esquecer das operações no exterior, é a Água de Cheiro. Com plano ousado de expansão, esta rede de franquias de cosméticos atualmente tem 824 franquias em operação, das quais 39 são lojas próprias, e até o final deste ano quer chegar à casa das 1.000 operações, segundo informou João Brizola, diretor de marketing da empresa.

Sem divulgar o faturamento, Brizola afirmou que “pretendemos crescer 30% em relação ao ano passado”. Para isso, a Água de Cheiro aposta em todos os estados brasileiros, com foco no público feminino de 25 a 45 anos, pertencente às classes B e C, ambas de poder aquisitivo elevado nos últimos anos.

Com tíquete médio de compra em R$ 62, a marca tem entre os seus produtos mais procurados, perfumes e cremes. A intenção da rede é ampliar a gama de produtos nos próximos anos, conforme explicou Brizola. “Nós temos a intenção de expandir algumas linhas de nossos produtos, dentre elas os artigos destinados para o público infantil, as maquiagens e os produtos feitos para o público masculino.”

Outra marca em expansão no país é a Mahogany Cosméticos. Atualmente com 150 lojas em operação, das quais apenas uma é própria, a rede pretende fechar 2012 com 170 espaços abertos ao público. O foco do crescimento da rede está no interior de São Paulo e na Região Nordeste, que tem recebido um número significativo de investimentos de todos os setores econômicos, fato esse que impulsiona o desenvolvimento do varejo no local.

Segundo Jaime Drummond, presidente da rede, o segredo do sucesso está no lançamento constante de novos produtos, na atenção diferenciada que se dá ao seu consumidor, e na exclusividade. “No ano passado mais de 100 produtos (entre lançamentos e reformulação de produtos) chegaram às nossas lojas, tudo para atrair a atenção das nossas consumidoras”, explicou ele.

Vale ressaltar que, em anos anteriores, 50% do faturamento da marca tinha como origem os seus sabonetes líquidos. Atualmente este índice está em 22% devido à inserção de vários novos itens ao portfólio do grupo: hoje suas lojas possuem em média 470 itens que atraem mulheres das classes A e B, e aspirantes da classe C, que gastam em média R$ 80 em produtos de beleza.

Outro fato a ser ressaltado é que, entre outubro e novembro, a marca vislumbra lançar uma linha de maquiagem que virá acompanhada de uma parceria com uma empresa alemã do setor de cosméticos. Recentemente, a Mahogany desenvolveu em conjunto com Daphné Bugey, responsável pelas fragrâncias da Kenzo, entre outras, a formulação de sua nova linha que terá aroma de rosas.

A rede também tem promovido uma reformulação total no layout de suas lojas, que segundo Drummond, servirá para expor de forma mais atrativa as novidades da rede. Listada como uma das maiores franquias de cosméticos em operação no mercado, a Contém 1g também apostou em operações diferenciadas ao adotar o sistema de quiosques. Atualmente com 163 pontos de venda, mais o canal on-line, a rede, para atrair a consumidora, promove atendimento diferenciado com pequenas aulas de maquiagem, tudo para incentivar a compra.

Outra rede que desponta no mercado de beleza em solo nacional é a Mezzo Dermocosméticos, com a franquia chamada Instituto Mezzo de Cosmetologia e Estética (I-Mezzo).  Além da comercialização de produtos de beleza e bem-estar – 14 linhas que somam 84 produtos diferentes para o corpo e para o rosto,  a marca, além de atender ao consumidor, é responsável por suprir a demanda de itens utilizados por profissionais de estética.

Com oito unidades, sendo uma operação própria localizada em Penápolis, interior de São Paulo, a rede já atua na capital paulista, em Minas Gerais, no Paraná e, em breve, a previsão é que chegará ao Rio de Janeiro. Segundo Paschoal Rosseti Filho, diretor de pesquisa e fundador da bandeira, a intenção é fechar 2012 com ao menos 30 contratos de franquias firmados.

(Fonte: Newsletter Semanal ABC, 25 de setembro de 2012)