CBA B+G cria metodologia de inovação com foco em sustentabilidade

CBA B+G cria metodologia de inovação com foco em sustentabilidadeA CBA B+G, agência de branding, inovação e pesquisa, lança neste mês uma metodologia proprietária para auxiliar marcas que pretendem se adaptar a conceitos sustentáveis e à economia circular, estratégia que implica na redução de uso de materiais, reciclagem e fontes de energia diversas. O processo envolve profissionais de agências, clientes, demais players do mercado e consumidores, entre estrategistas, criativos, makers, especialistas em logística, sustentabilidade, finanças, inovação e pesquisa e desenvolvimento.

A metodologia foi criada a partir do entendimento de três aspectos importantes para efetividade na busca de soluções. O primeiro deles é a colaboração, já que integração de perspectivas e conhecimentos de agentes distintos é fundamental para se resolver o problema. O segundo é a tecnologia, pois o uso de ferramentas digitais possibilita escalabilidade das soluções. Por fim, a busca por novos modelos de negócios é parte importante do processo, pois as possibilidades viáveis no longo prazo e que trarão resultados efetivos vão nascer de novos modelos, alguns deles ainda não identificados.

“As marcas estão sendo desafiadas a adotar princípios da economia circular em suas práticas e processos, principalmente relacionados à gestão e descarte dos resíduos gerados por seus produtos. Nesse contexto, queremos auxiliar os clientes em suas jornadas de transformação de negócios, lidando melhor com a geração e gestão de seus resíduos e impactando diretamente em melhores resultados de negócios”, explica Carolina Barruffini, Diretora de Estratégia da CBA B+G.

Metodologia

A metodologia parte de equipes reunidas em workshops imersivos com objetivo de gerar soluções em três perspectivas essenciais: Pessoa, que criam iniciativas engajadoras para mobilizar e envolver os consumidores, parceiros, clientes e colaboradores; Sistema, que estabelece jornadas eficazes e escaláveis de logística reversa com objetivo de fechar o ciclo das embalagens, desde a compra do produto até o pós-consumo; e Embalagens, que explora materiais e formas mais inteligentes para entregar embalagens com menor impacto ambiental e otimização de uso de materiais.

O processo de trabalho se dá em quatro etapas subsequentes e colaborativas. No diagnóstico, identifica-se a realidade do cliente na geração de resíduos, identificando as frentes prioritárias a serem trabalhadas. Em seguida, há workshops de cocriação feitos em dois dias, em que são desenhadas as jornadas de logística reversa com objetivo de fechar o ciclo das embalagens. A terceira etapa é composta pela análise de campo, em que as ideias são avaliadas diante da realidade do consumidor, parceiros e da empresa. Por fim, se realiza dois dias de workshop de prototipagem, em que as ideias são desenvolvidas em protótipos de baixa e media fidelidade (físicos e digitais) e testadas com clientes e consumidores. Ao final, faz-se uma apresentação em formato “Shark Tank Pitch” para a liderança da empresa.

A partir da prototipagem, as soluções são pilotadas pela empresa com objetivo de gerar um “backlog de aprendizados”. Por meio das melhorias incorporadas, as estratégias são transformadas em projetos reais que endereçam soluções envolvendo o consumo dentro e fora do lar. Assim, a CBA B+G propõe uma forma das empresas repensarem sistemas, reavaliarem a forma como fazem negócios e reimaginarem seus processos produtivos.

(Fonte: Tulom Comunicação, 13 de junho de 2019)