As embalagens flexíveis

As embalagens flexíveisDe acordo com a Euromonitor Internacional, líder mundial em pesquisas de mercados de consumo, em 2012 a produção mundial de embalagens flexíveis alcançou mais de um bilhão de unidades, que representa 59% do volume total do mercado de embalagens.

Entre a variedade de embalagens flexíveis estão filmes de plásticos, de alumínio e multicamadas (combinação de dois ou mais materiais). Entretanto, um importante desenvolvimento no mercado foi o stand-up pouch, uma opção que cada vez mais aparece nas gôndolas dos supermercados.

Incialmente composta exclusivamente de plástico, as embalagens stand-up pouch hoje são oferecidas na versão plástico/alumínio multicamadas, uma inovação que ajudou revitalizar o mercado. “Os pouches de plástico foram muito apreciados pela indústria de produtos de limpeza e são destinados, principalmente, como refis dos produtos. Sua versão multicamadas de alumínio convenceu a indústria de alimentos e de bebidas a fazer uso desta opção, que a utiliza para as conservas, pratos preparados, pet food, sucos de frutas, entre outros”, analisa Pascal Brevier, gerente sênior de segmentação de mercados da Markem-Imaje, empresa especializada em soluções de marcação, codificação e rastreamento industrial.

Para cumprir com as legislações próprias da indústria de alimentos e bebidas, existem duas tecnologias para imprimir as informações previstas por lei nestas embalagens: a transferência térmica e a injeção de tinta. “Tudo depende do modo de produção”, explica Pascal Brevier.

“Para imprimir antes do envase do produto, é indicado a impressão por transferência térmica. Um codificador SmartDate é integrado na máquina de embalagem para imprimir diretamente sobre o filme. Se a indústria prefere imprimir as informações após o envase, a Markem-Imaje sugere impressão a jato de tinta, pois existem equipamentos que não necessitam de qualquer contato com a embalagem e aceita sem problemas as variações dimensionais de alguns milímetros que ocorrem após o envase. Melhor ainda é que os consumíveis podem ser trocados sem parar a impressora, e portanto, sem interromper a produção”, acrescenta Brevier.

Na América Latina, se produziram mais de 134 milhões de embalagens flexíveis em 2012 e se espera que os stand-up pouches multicamadas cresçam uma média anual de 4,6% até 2014.

Texto traduzido pelo Centro de Informações ABRE.

(Fonte: Énfasis Packaging Online, 01 de março de 2013)