Fórum da ABRE teve como tema principal a inovação através do design para resultados

2110_01O Fórum Estratégico de Design, promovido pela ABRE – Associação Brasileira de Embalagem em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), contou com a participação de Hugh Musick, Diretor de Educação Executiva do IIT – Illinois Institute of Technology/Institute of Design. Durante a primeira palestra do dia, “Design Thinking: tornando a inovação acessível”, inédita no Brasil, Musick explicou o fundamento do design, relacionando a evolução das ferramentas de tecnologia, e citou algumas questões estratégicas de negócios a serem pensadas. Como por exemplo, qual a importância do design? Que direção seguir? Como se destacar?

Para Musick a definição de design é: “Uma forma de olhar para determinadas condições e soluções e visualizar como melhorá-las”. E afirma que o designer nunca aceita o problema como é apresentado.

Em seguida, Ana Malamud, Diretora da área qualitativa, e Bruno Pompeu, Especialista em semiótica, da Ipsos Marketing, apresentaram a semiótica do consumo dentro do contexto pós-moderno e explicaram a diferença entre tendência e manifestação no universo do consumo. “As tendências inspiram, têm valores sociais, e as manifestações são efêmeras, como as ‘modinhas’ passam logo”, afirmou Bruno. A dupla ainda falou sobre significado, sensibilidade e sustentabilidade, além de alertar sobre uma mudança importante no consumo: as pessoas tendem a pensar cada vez mais na maneira de consumir.

Eduardo Augusto Wust, Paloma Santos e Paulo Roberto Navarro, da Jonhson&Jonhson, apresentaram o case da Sundown e mostraram como funciona o ‘Funil de Inovação’ da empresa. “A inovação deve existir, mas deve-se manter a força da marca e facilitar a identificação do produto pelo consumidor, esse é o desafio”, afirmou Navarro.

            Outro palestrante internacional, Benjamim Punchard, da Mintel, falou sobre o pouco explorado mercado de embalagem para o público Sênior. “As embalagens devem ser desenvolvidas de maneira inteligente, sutil, expondo os benefícios do produto. Se houver preocupação com o abre fácil e com as informações bem destacadas, por exemplo, atinge-se um público maior, sem distinção”, afirmou Punchard.

Erik Feruglio e Thais Bardal, da Esko-Graphics do Brasil, apresentaram as novas tecnologias que trazem eficiência ao processo de desenvolvimento das embalagens. Como uma ferramenta que possibilita a apreciação virtual da embalagem pronta. “É possível observar o produto exposto na gôndola ao lado dos concorrentes, antes mesmo do produto existir de fato”, afirma Feruglio.

Por fim, Luiz Serafim, da 3M, apresentou diversos casos de inovação, entre eles o mapa da malha viária do Metro de São Paulo, placas de trânsito e o Post It, desenvolvidos pela 3M, destacando que nem todos fizeram sucesso na primeira tentativa de lançamento. “Para ser uma empresa inovadora é preciso construir um sistema. Deve-se estimular a colaboração e o empreendedorismo interno, a relação entre as pessoas e a troca de experiências”, afirma Serafim.

O Fórum teve o patrocínio Diamante das empresas Ibema e Tetra Pak; patrocínio Prata da Clariant e da Papirus; patrocínio Bronze da Abeaço, IndexLabel, Natura, Silgan e Wheaton Brasil.

Confira as fotos do evento em www.facebook.com/abreembalagembrasil